“A realização de novo concurso INSS foi pauta de uma reunião realizada pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps) com o atual ministro da Previdência Carlos Lupi, na última segunda-feira, dia 9 de janeiro. Durante o encontro, os representantes de classe reforçaram a grande necessidade de pessoal, além de apresentar a pauta de reivindicações dos servidores.

Na ocasião, a categoria tratou da necessidade de redução das filas dos beneficiários. Ao assumir o cargo, em 3 de janeiro, Lupi já havia se comprometido a acabar com as filas. Neste sentido, foi colocado que ampliação dos acordos de cooperação técnica e a possibilidade de novos acordos com estados e municípios não iriam resolver o problema, já que seria apenas uma medida paliativa. Foi destacada a necessidade contratação de servidores mediante concurso público para sanear os graves problemas estruturais do INSS. Segundo a categoria, o instituto conta com uma defasagem de nada menos do que 23 mil servidores.

Lupi disse que sua origem é trabalhista e se coloca como parceiro para buscar solução para os problemas do INSS, um órgão da União da maior importância, que tem uma dívida social com os milhões de segurados, que em sua maioria (70%), recebem benefícios no valor de um salário mínimo.

Em dezembro, a equipe de transição adiantou o interesse de promover um novo concurso para técnicos, com mais mil vagas. No entanto, para isso antes é necessário convocar todos os aprovados na seleção em andamento.
A seleção 2022 não deve suprir efetivamente a necessidade de pessoal, tendo em vista que o INSS havia solicitado aval do Ministério da Economia para o preenchimento de 7 mil vagas somente para técnicos.

O Instituto também já havia solicitado autorização para o preenchimento de mais 1.571 oportunidades para analistas, com exigência de nível superior.” Fonte: JC Concursos